Coronavírus: ONU elenca cinco pontos chave para inclusão de pessoas com deficiência

Coronavírus: ONU elenca cinco pontos chave para inclusão de pessoas com deficiência

Atualmente, 15% da população mundial possui algum tipo de deficiência, seja física ou intelectual. Esse número representa cerca de 1 bilhão de pessoas que sofrem todos os dias com problemas relacionados a falta de inclusão nos meios sociais e no trabalho.

Tendo em vista que, dentro dos 15% de deficientes a nível global, cerca de 80% estão em idade para trabalhar, esse dado se torna ainda mais alarmante. Por isso, deve-se realizar ações para minimizar a exclusão dessas pessoas, ainda mais em tempos de pandemia causada pelo novo coronavírus.

Por esse motivo, no dia a 15 de maio, a Organização das Nações Unidas (ONU) realizou uma publicação elencando cinco pontos chave para o tratamento de pessoas com deficiência física durante esse período de pandemia.

O objetivo do texto é, em linhas gerais, promover a inclusão e garantir todos os direitos que esses cidadãos possuem, dado às suas necessidades de acessibilidades.

Em vista disso, os cinco pontos tratam sobre novos meios de adaptar os formatos de trabalho e convivência que estão surgindo em decorrência ao novo coronavírus, visando que pessoas com deficiência não sejam prejudicadas e possam adaptar as suas rotinas para permanecerem em segurança.

Detalhes das medidas adotadas

Nesse cenário, os cinco pontos citados pela Organização das Nações Unidas são a adoção de medidas de apoio para promover a igualdade, o asseguramento de uma comunicação acessível e inclusiva, proporcionar uma proteção social adequada, a garantia do direito do trabalho agora e sempre e a mudança de narrativa no contexto atual.

Ilustração com plano de fundo em degradê branco e azul. Logo a frente a sobra de diversas pessoas sendo, homens, mulheres e crianças de diversas idades, dentre elas está um homem na cadeira de rodas.
Ilustração com plano de fundo em degradê branco e azul. Logo a frente a sobra de diversas pessoas sendo, homens, mulheres e crianças de diversas idades, dentre elas está um homem na cadeira de rodas.

Igualdade social

Falando sobre as medidas que visam promover a igualdade social, a ONU menciona a necessidade de adequação no novo formato de trabalho em casa que diversas empresas estão realizando, como home office.

Nesse caso, o colaborador deve ter em sua casa toda a estrutura necessária para a realização de suas atividades, assim como já contém em seu posto de trabalho comum.

Isso nem sempre é possível por diversas questões de infraestrutura. Em muitas localidades não se tem o acesso internet e até mesmos á equipamentos.

Além disso, neste tópico a ONU também destaca a questão relacionada ao isolamento social, a qual é impossibilitada em cidadãos que precisam de um acompanhante em suas atividades diárias. Sendo assim, reserva-se o direito a companhia, independentemente do modo em que ela seja adaptada durante a quarentena.

Comunicação acessível

Ao tratar sobre assegurar a comunicação acessível, o assunto se volta principalmente aos portadores de deficiência auditiva e que fazem uso da língua brasileira de sinais (LIBRAS) para se comunicar.

Porém, legendas e tecnologias específicas para deficientes visuais também devem ser adaptadas. Desse modo, garante-se que todos os cidadãos terão acesso às informações indispensáveis a sua saúde, bem como entendimento sobre a atual situação da pandemia a nível mundial.

Proteção social

Já a proteção social trata diretamente da questão monetária, a qual tem se tornado um grande problema para as pessoas com deficiência que tiveram seus salários reduzidos ou extintos.

Nesse cenário, é preciso assegurar que todos os gastos relacionados aos cuidados com pessoas com deficiência serão cobertos, bem como remédios e outros tratamentos.

Direito ao trabalho

Tratando sobre assegurar o direito ao trabalho, além de falarmos também sobre a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015), é importante ressaltar que a inclusão a pessoas com deficiência deve se fazer ainda mais presente em tempos de pandemia.

Por esse motivo, a ONU destaca também a necessidade de falar sobre a implementação das Normas Internacionais do Trabalho, bem como de outros instrumentos relacionados aos direitos humanos, como a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Mudança de narrativa

Por último, a mudança de narrativa trata sobre a inclusão de pessoas com deficiência na tomada de decisões sobre medidas protecionistas.

Além disso, a ONU também ressalta seu compromisso com a inclusão em todos os âmbitos, bem como a promoção de justiça no âmbito profissional e social para todas as minorias.

Todas as crises, segundo o comunicado, trazem oportunidades, e a oportunidade do momento é promover a inclusão de todos os grupos anteriormente discriminados – incluindo as pessoas com deficiência – como elemento central em todas as respostas à pandemia.

Nós do  Instituto Hippocampus de Psicologia, nos comprometemos em acompanhar, fiscalizar e ajudar na luta contra o preconceito à pessoas com deficiência

Assim como a ONU, nos manteremos atentos ao cumprimento das regras já estabelecidas e no acompanhamento das propostas de igualdade entre pessoas com deficiência. Para saber mais sobre as nossas propostas de inclusão, acesse o nosso site https://ihpsi.com.br/.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *